NOTÍCIAS

Firjan sedia lançamento de plano para revitalizar polo marítimo de Niterói

| FIRJAN

A Firjan Leste Fluminense sediou, nesta quarta-feira (04/12), o lançamento do Programa de Ativação Econômica da Frente Marítima de Niterói, concebido pela Prefeitura e pela agência Niterói Negócios. Na ocasião, foram apresentados o contexto atual e as oportunidades para revitalização da infraestrutura e a atração de novos investimentos na frente marítima da cidade, com impacto na geração de empregos até 2030 e no desenvolvimento econômico local em quatro setores chaves: óleo e gás, marítimo, portuário e pesca.

Giovanna Victer, secretária municipal de Fazenda, apresentou oficialmente o programa, que prevê a execução de seis propostas de políticas públicas: a dragagem do Canal de São Lourenço, a criação de programas de qualificação técnica, o incentivo à promoção de negócios, a abertura de editais de inovação e um plano de mobilidade e a requalificação urbana da Ilha da Conceição, além da implementação de um terminal pesqueiro. A expectativa é que, até 2030, sejam gerados 49 mil novos empregos privados em Niterói. "O objetivo é mostrar que Niterói tem visão de futuro, gestão profissionalizada, legitimidade política e uma coesão interna que garante investimentos”, defendeu.

Luiz Césio Caetano, presidente da Firjan Leste Fluminense, destacou a retomada dos negócios e empregos na região, que concentra mais de 50% dos estaleiros de grande e médio porte instalados no estado. “A abertura do Canal de São Lourenço vai reconduzir a Ilha da Conceição à sua condição original. Esta obra também é estratégica para dinamizar a economia regional e gerar novos empregos nos setores naval, de exploração do pré-sal e da indústria de óleo e gás”, analisou.

Considerada vital para a reestruturação do setor naval fluminense e da região, a reabertura do Canal de São Lourenço (fechado na década de 70 por conta da construção da Ponte Rio-Niterói) integra a Agenda Regional do Leste Fluminense do Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro 2016-2025, estudo elaborado pela Firjan com as propostas da indústria para o crescimento sustentável do estado. Será aberto sob o atual acesso à Ilha da Conceição e terá 20 metros de largura, com 300 de extensão e três metros de profundidade, permitindo que as embarcações de maior porte voltem a circular com segurança.

O canal que atravessa os municípios de Niterói e São Gonçalo encontra-se obstruído por sedimentos e restos de embarcações que impedem uma boa circulação hídrica na Baía de Guanabara. A dragagem irá desassorear a área, aumentando a profundidade para 12 metros e permitindo a navegação de embarcações maiores em direção ao Porto de Niterói, estaleiros navais e entrepostos pesqueiros. “Temos o compromisso de realizar essa obra, que está inserida em uma estratégia de desenvolvimento”, afirmou o prefeito Rodrigo Neves. Estimada em cerca de R$ 200 milhões, a obra será custeada pela Prefeitura e deve durar 24 meses a partir da licença de instalação.

Participaram do evento secretários municipais, vereadores, deputados estaduais, autoridades navais, além de executivos, especialistas e lideranças sindicais e empresariais dos setores envolvidos.

O SINMETAL não é responsável pelas notícias aqui transcritas, são apenas reproduções da mídia.